sábado, 14 de maio de 2011

Procurei um homem

T. A. Hegre


"Busquei entre eles um homem que tapasse o muro e se colocasse na brecha perante mim, a favor desta terra, para que eu não a destruisse; mas a ninguém achei." (Ez. 22:30)

Certa vez, alguém falou em sacrifício com C. T. Studd, o fundador da missão AMEM. E ele disse:

“Sacrifício? Nada sei sobre sacrifício. Não é sacrifício achar-me aqui.”

Apesar de ter cinquenta e dois anos de idade e se encontrar enfermo, foi para a África. Servira a Deus como missionário na China e na Índia, e agora deixava sua esposa, por dezoito anos, para tornar a vê-la apenas uma vez – por duas semanas. Viveu, serviu a Deus e morreu no coração da África. C. T. Studd gastou sua vida na causa de Deus. Conversei com obreiros no campo missionário em que C. T. Studd trabalhou, e eles me contaram que às vezes ele erguia seu braço e dizia:

"Olhem para este braço. Ora, não passa de um graveto fraco. Se houvesse perseguição aqui, eu seria esmigalhado. Ah! como eu queria ter saúde para sofrer por Cristo! Não tenho mais possibilidades de sofrer muito!"

Certa ocasião, uma pessoa escre¬veu a C. T. Studd dizendo que ele devia voltar para casa, porque tinha estado tempo suficiente no campo.

"Dê as rédeas a alguém mais jovem. Volte para casa e nós faremos o necessário para que tenha segurança e conforto o resto de sua vida.”

“Conforto!”, exclamou ele, “odeio essa palavra.”

E respondeu:

“Não; com o inimigo pela frente, pela esquerda e pela direita, a espada se prende à minha mão. Sou o capitão de uma pequena divisão. Não posso deixá-la agora.”

E não deixou seu posto, pois lá morreu.

Hoje, Deus está procurando soldados como C. T. Studd – tanto os que ficam a batalhar na pátria, trabalhando para prover as finanças necessárias, como também os que vão aos confins da terra levando o evangelho, sem procurar para si uma vida folgada, mas “enfurecendo-se” ao ouvir a palavra “conforto”.

Que Deus nos ajude ao lermos de novo a grande comissão dada por Cristo. Que nos ajude a ser sinceros diante dele e dos homens. Se não estamos cem por cento a favor da obra missionária em tudo quanto fazemos e possuímos, então caiamos arrependidos aos pés do Senhor, confessando nosso desinteresse, reconsagrando-nos a Cristo e àquilo que o seu coração mais deseja – a evangelização do mundo.

O Pr. Ted A. Hegre é o fundador da Missão Evangélica Betânia. Foi chamado para estar com o Senhor em 1984. Este artigo foi extraído do livro Vida que Nasce da Morte, que será relançado brevemente pela Editora Betânia.

Nenhum comentário: